Inglês emula Conan Doyle e recria Sherlock Holmes

Por ANDRÉ BARCINSKI
CRÍTICO DA FOLHA
Condensado de Folha de SP, 27/02/2012

Os fãs do escritor britânico Arthur Conan Doyle (1859-1930) e de sua maior criação, o detetive Sherlock Holmes, ficaram apreensivos quando foi anunciado que os herdeiros de Conan Doyle iriam permitir pela primeira vez que um escritor fizesse um novo romance estrelado pelo famoso investigador.

O escolhido foi o autor inglês Anthony Horowitz, 57, famoso por sua série juvenil protagonizada por Alex Rider, um espião adolescente.

O resultado não poderia ter sido melhor: para surpresa de muitos, Horowitz fez um livro –“A Casa da Seda”– que não só agradou aos fãs de Holmes, como periga torná-lo um personagem popular com leitores mais jovens.

“A Casa da Seda” traz o detetive e o Doutor Watson às voltas com um mistério envolvendo um colecionador de arte. Divertido e escrito num estilo bem parecido com o de Conan Doyle, o livro faz alusões a personagens e situações de outras histórias do investigador inglês.

O escritor Anthony Horowitz (Divulgação)

O escritor Anthony Horowitz (Divulgação)

Horowitz, um fanático pelos livros de Conan Doyle desde que ganhou a coleção completa das histórias de Sherlock Holmes, aos 17 anos, diz que nunca poderia esperar ter sido escolhido.

“Eles [os responsáveis pelo espólio de Conan Doyle] me procuraram do nada, eu não imaginava que eles tinham a ideia de publicar um novo livro com o personagem”, revelou o escritor.

Horowitz conta que só fez uma exigência: não sofrer nenhum tipo de interferência durante seu processo criativo. “Só exigi que me deixassem em paz para criar a história. Queria fazer uma trama nova e original, que não parecesse um mero pastiche ou uma homenagem.”

Questionado sobre a dificuldade de emular o estilo de um escritor tão conhecido quanto Conan Doyle, Horowitz diz: “Desde muito jovem, fui inspirado pela genialidade de Conan Doyle e por seu estilo, que conheço bem”.

“O que Doyle criou é um presente para qualquer escritor, um mundo brilhantemente imaginado, com personagens inesquecíveis e uma atmosfera única”, resume.

As suspeitas iniciais dos fãs de Sherlock Holmes, no entanto, não parecem ter preocupado o autor. “Eu botei na cabeça que não iria receber nenhuma carta de fãs revoltados com o livro.”

E foi o que aconteceu: “Até os fãs mais radicais parecem ter gostado. Eles reconheceram as menções a outras histórias de Holmes e sentiram que o livro foi escrito por alguém que realmente conhece e respeita a tradição da obra de Conan Doyle”.

O autor espera que o sucesso de “A Casa da Seda” inspire leitores jovens a conhecer a obra de Conan Doyle: “Seria fantástico se meu livro ajudasse uma nova geração a descobrir os livros antigos”.

E revela que gostou tanto da experiência que pensa em fazer um livro com outro personagem que admira, o espião James Bond. “Se me convidarem, eu faço.”

A CASA DA SEDA
AUTOR: Anthony Horowitz
TRADUÇÃO: Maria Luiza Borges
EDITORA: Zahar
QUANTO: R$ 36,90 (272 págs.)

Anúncios
Esse post foi publicado em Jornais, Livros e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s