Demolição da casa de Arthur Conan Doyle em tribunal

Por Cláudia Carvalho
Condensado de Público, 24/05/2012

A luta contra a demolição da casa vitoriana onde Arthur Conan Doyle, autor de Sherlock Holmes, viveu durante dez anos, chegou aos tribunais britânicos, depois de um grupo de fãs do escritor ter criado a “Undershaw Preservation Trust”, uma fundação a favor da manutenção do edifício. Undershaw é o nome dado à casa.

Empresa quer demolir parte da casa para poder construir oito vivendas

Empresa quer demolir parte da casa para poder construir oito vivendas

Em causa está a demolição de parte da casa, fechada desde 2005, para a construção de oito vivendas no mesmo local. Ao Tribunal Superior de Londres, a Undershaw Preservation Trust acusou a empresa Fossway, actual proprietária do edifício, de apenas estar a pensar em construir para ganhar dinheiro, descurando o valor literário daquela casa.

A casa, situada em Hindhead, a cerca de 80 quilómetros de Londres, foi idealizada e desenhada pelo próprio escritor. Em 1897 mudou-se para a habitação, onde viveu até 1907. Ao longo dos dez anos foram muitos os escritores que por ali passaram em visitas, como JM Barrie, criador de Peter Pan, e Bram Stoker, criador de Drácula. Foi também na Undershaw que Conan Doyle escreveu “O Cão dos Baskervilles” e “O Regresso de Sherlock Holmes”.

Imagem antiga da moradia

Imagem antiga da moradia

Para John Gibson, fundador da Undershaw Preservation Trust, que falou à BBC, esta casa “tem sido gravemente descuidada pelos actuais proprietários”, que apenas estão preocupados com uma oportunidade de negócio para ganhar dinheiro. Gibson defende, e é isso que pede em tribunal, que a casa seja restaurada e transformada num museu ou num centro literário.

Depois da saída de Conan Doyle, a casa vitoriana deu lugar a um hotel, que se manteve aberto desde 1920 até 2005, ano em que ficou vazia e fechada. Desde então tem vindo a deteriorar-se. Pouco antes de fechar, foi comprada pela construtora Fossway, que tem agora o plano de a demolir.

Nesta luta pela manutenção da casa, estão ainda nomes conhecidos como os escritores Julian Barnes e Ian Rankin e o realizador Stephen Fry. Também na página do Facebook da Undershaw Preservation Trust, onde existem várias fotografias que mostram o estado de degradação da casa, são muitas as mensagens de apoio à acção. A decisão do tribunal deverá ser conhecida em meados de Julho.

Arthur Conan Doyle, que nasceu na Escócia em 1859, morreu aos 71 anos de ataque cardíaco, na Inglaterra, país para onde se mudou quando era jovem, na altura em que começou a escrever.

Esse post foi publicado em Jornais e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s