Vale a pena ressuscitar Sherlock Holmes?

Condensado de Veja
Maria Carolina Maia, Blog Meus livros, 21/01/11

Colocar no mercado, ao alcance dos leitores, livros que um escritor não quis lançar em vida é uma prática bastante questionável – pode ser entendida tanto como um favor aos fãs carentes de uma nova publicação do autor como um golpe comercial da editora. E o que se diz de um escritor retomar um personagem clássico criado décadas antes por um autor já morto? A pergunta é coerente no momento em que corre a notícia de que a editora britânica Orion prepara para setembro o lançamento de uma nova história de Sherlock Holmes, o clássico detetive criado por Sir Arthur Conan Doyle.

O autor responsável pelo livro, o inglês Anthony Horowitz, promete não “tomar liberdades” com Sherlock e apenas inseri-lo em uma nova trama policial. Em se levando em consideração a opacidade inerente ao personagem do gênero policial, que pouco transparece de si mesmo para não entregar pistas em excesso ao leitor, é possível que cumpra o que diz. Mas herdeiros e fãs puristas devem coçar a cabeça de apreensão de qualquer modo. Nunca se sabe o que pode resultar desses arriscados enxertos.

O bom currículo do substituto de Conan Doyle, que a Orion tem tratado de divulgar, não dirime os riscos. Autor de livros infantis como Alex Rider e roteirista de televisão, Horowitz, que se diz fã de Sherlock Holmes desde a adolescência, já teria adaptado para a TV histórias de outro detetive clássico: Hercule Poirot, de Agatha Christie.

Qualquer que seja a qualidade do novo trabalho, é possível que Sherlock Holmes, desde o início um grande vendedor de livros – O Cão dos Baskerville é tido um dos primeiros bestsellers do século XX -, volte a dar lucros nesta empreitada. Originalmente publicado na revista inglesa Strand Magazine, o personagem foi salvo pelos leitores da publicação quando Conan Doyle, cansado de movê-lo em cenários diversos, decidiu aposentá-lo. Um número recorde de cancelamento de assinaturas fez o escritor mudar de ideia.

Para quem é fã do detetive, uma dica de leitura é a coleção completa de Sherlock Holmes que a editora Zahar está lançando. Publicada originalmente nos Estados Unidos pela Norton, a coleção reúne toda a obra de Sir Arthur Conan Doyle, acompanhada de textos informativos, ilustrações e notas de rodapé.

Anúncios
Esse post foi publicado em Revistas e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s