Terá sido o verdadeiro Sherlock Holmes descoberto?

Condensado de The Telegraph, 15/03/2014
por Jasper Copping

Uma nova biografia de um proeminente detetive vitoriano sugere que ele ajudou a inspirar a criação de Sir Arthur Conan Doyle

Jerome Caminada que, conforme nova pesquisa, ajudou na inspiração do celebrado herói de Sir Arthur Conan Doyle

Jerome Caminada que, conforme nova pesquisa, ajudou na inspiração do celebrado herói de Sir Arthur Conan Doyle

Ele fascinou a Inglaterra Vitoriana com sua incomparável habilidade em importantes casos, baseado em um astuto raciocínio lógico e compreensão da ciência forense, para não mencionar ser um mestre dos disfarces e possuir um conhecimento enciclopédico do submundo do crime.

Esse detetive, no entanto, não foi Sherlock Holmes, mas um investigador da vida real, Jerome Caminada, que, conforme uma nova pesquisa sugere, ajudou a inspirar Sir Arthur Conan Doyle em seu celebrado herói.

A biografia de Caminada, recém lançada, revela uma série de semelhanças entre ele e a personagem da ficção, tanto em termos de métodos heterodoxos quanto em caráter. Também estabelece fortes ecos entre os casos do verdadeiro detetive e os enredos usados por Doyle.

Angela Buckley, a autora, ainda estabelece que, no histórico de casos de Caminada, ele viu-se envolvido no embate com uma criminosa sedutora e talentosa, como Irene Adler e que o detetive tinha até um mesmo um nêmesis como Moriarty, que o atormentou ao longo de inúmeros casos até um final e dramático confronto.

Conforme a Sra. Buckley: “Caminada tornou-se uma figura nacional ao mesmo tempo em que Sherlock Holmes estava sendo criado. Há muitos paralelos e é evidente que Doyle usou elementos dessa personagem real”.

Filho de pai italiano e mãe irlandesa, Caminada vivia em Manchester, mas se envolvia em casos que o levavam a todo o país, e ele apreciava um perfil nacional de imprensa, de modo que relatos de suas façanhas fossem amplamente divulgados.

A maior parte de sua carreira se deu na Manchester City Police Force, embora mais tarde, como Holmes, ele tenha atuado como um “detetive consultor”.

Ele ganhou destaque em meados da década de 1880, pouco antes de Sherlock Holmes estrear em “Um Estudo em Vermelho” e paralelos entre os dois logo surgiram.

Assim como a personagem da ficção contava com uma rede de contatos no submundo – os Irregulares da Backer Street -, Caminada era conhecido por sua extensa rede de informantes, que ele muitas vezes encontrava no banco de trás de uma Igreja.

Essas personagens ajudaram a construir um conhecimento enciclopédico do mundo do crime, onde ele mesmo costumava transitar disfarçado – outra tática comum com Holmes que, em sua reencarnação mais recente, é interpretado por Benedict Cumberbatch.

Assim como seu homólogo da ficção, Caminada destacou-se por sua tendência de rondar as ruas dos bairros mais perigosos à noite e sozinho, sem medo de intervir em quaisquer crimes que encontrasse.

Sua habilidade em disfarces era tão notável que certa vez, enquanto acompanhava uma grupo de ladrões no Grand National, vestido como operário, o próprio chefe de polícia foi incapaz de reconhecê-lo.

Outros disfarces incluíam bêbados e outros papéis da classe trabalhadora. No entanto, ele também agia como um profissional de colarinho branco, como na vez em que levou um falso médico à justiça.

Apelidado de “terror para o mal feitores” e, mais tarde “o Garibaldi de Detectives”, ele tinha a reputação de ser capaz de detectar um ladrão pela forma como ele andou – aparentemente o resultado de visitas que fez à prisões, para assistir os presos andando no pátio para familiarizar-se com sua aparência e da marcha.

Ao longo de sua carreira, ele teria sido responsável pela prisão de 1.225 criminosos. Seu caso mais famoso – e, talvez, a que mais se assemelhe com as histórias de Holmes – foi o “Mistério da quatro rodas do coche”, aparentemente desconcertante.

Dois homens haviam tomado um coche com um cavalo desenhado. No percurso, um saltou para fora e o outro foi encontrado à beira da morte.

Não havia nenhuma causa óbvia para a morte nem pistas evidentes para seguir, mas através de uma série de deduções de que o próprio Holmes ficaria orgulhoso, Caminada acabou identificado o culpado como Charles Parton, que havia drogado o outro homem antes de entrar no coche, na tentativa de roubá-lo.

Outro caso notável levou-o a desempenhar um papel proeminente na caça em todo o país de terroristas fenianos, responsáveis ​​por uma série de explosões em todo o país.

A Sra. Buckley, uma historiadora familiar e administradora da Sociedade de Genealogistas, identifica o “Moriaty” de Caminada como Bob Horridge, de uma carreira criminal inteligente e violenta, com quem teve um embate por 20 anos, que iniciou-se quando Caminada o prendeu pelo roubo de um relógio, sendo-lhe imputada uma pena de sete anos de trabalhos forçados devido seus precedentes.

Esta pesada sentença por um crime relativamente brando irritou tanto Horridge que ele jurou vingança contra o detetive.

No início, as atividades criminosas de Horridge cresceram em tamanho e escopo, mas ele geralmente era capaz de ficar um passo à frente das autoridades, muitas vezes efetuando fugas dramáticas.

Sua farra finalmente teve fim após ele ter atiradocontra dois policiais. Caminada localizou-o em Liverpool e o detetive, novamente disfarçado, acabou por capturá-lo, após sacar sua arma uma fração de segundo mais rápido que o criminoso. Horridge foi condenado por tentativa de homicídio e condenado à prisão perpétua.

Já a “Irene Adler” de Caminada foi Alicia Ormonde, uma mulher aparentemente bem-educada, com passado aristocrático e gostos caros mas que, na verdade, era uma falsificadora consumada, procurada em todo o país por uma série de fraudes e furtos.

Caminada localizou-a e pendeu-a, mas – como num eco do fascínio de Holmes com Adler – o detetive aparentemente ficou cativado por ela.

O caso ocorreu em 1890, um ano antes de Adler aparecer em “Um escândalo na Boêmia”.

Caminda – que publicou suas memórias ao se aposentar – morreu em 1914, ano em que o último romance de Holmes foi lançado.

The Real Sherlock Holmes - The Hidden Story of Jerome Caminada (Capa)

The Real Sherlock Holmes – The Hidden Story of Jerome Caminada (Capa)

Outras pessoas foram previamente apresentadas como base para Holmes, que apareceu pela primeira ver em uma publicação de 1887 e destacou-se em quatro romances e 56 contos.

O próprio Doyle afirmou que sua inspiração foi o Dr. Joseph Bell, cirurgião na Royal Infirmary of Edimburgh, com quem Doyle havia trabalhado como assistente. Como Holmes, Bell notabilizou-se por grande deduções e conclusões a partir das menores observações. Sir Henry Littlejohn, um ex-cirurgião da polícia, também é citada como uma inspiração para o detetive.

No entanto, a Sra. Buckley, cujo livro se chama “The Real Sherlock Holmes”, acredita que Caminada foi usado para dar um melhor acabamento em Holmes no trato de casos reais entre a fo submundo do crime, inspirando seu estilo de investigação e alguns dos casos desconcertantes que ele encontrou.

Matéria original
 
Tradução: Mundo Sherlock
Esse post foi publicado em Livros e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Terá sido o verdadeiro Sherlock Holmes descoberto?

  1. Pingback: Dá pra acreditar? |

  2. Pingback: Será? | Almanaque dos Detetives

  3. Victor disse:

    Olá, Mundo Sherlock! Sei que a pergunta que vou fazer não tem nada a ver com este assunto, mas algo que fiquei curioso é saber o que aconteceu com o sherlockbrasil.com , site que eu frequentava. Porque fecharam? Mesmo se não souberem a resposta, eu agradeço.

    Victor

    • mundosherlock disse:

      Olá Victor!

      Realmente, o Sherlock Brasil encontra-se desativado. As razões que levaram ao desativamento, não podemos dizer. É uma pena, pois foi o primeiro site dedicado a Holmes na web brasileira e, talvez até mesmo em língua portuguesa.

  4. Victor disse:

    Obrigado, Mundo Sherlock. É uma pena a desativação deles, mas para compensar, temos o ótimo site de vocês. Vida longa à Mundo Sherlock!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s